Preço da gasolina sobe 15% e litro chega a R$ 4,59 na bomba

O reajuste pegou de surpresa os motoristas da capital. Procon Manaus aplica multa em alguns postos e Sindicombustíveis-AM responsabiliza os sucessivos aumentos das refinarias

Thiago Quara contato@jornaldezminutos.com.br

Motoristas que decidiram abastecer seus veículos na manhã de ontem, em Manaus, se depararam com uma média de preços de R$ 4,49 a R$ 4,59, o litro da gasolina, contra a média de R$ 3,99 praticado até a semana passada, uma alta de 15,03%.
Em um posto de combustível localizado na rotatória da bola do Eldorado, bairro Parque Dez de Novembro, a gasolina já estava sendo vendida a R$ 4,59. O aumento ocorreu entre a última segunda feira (18) e ontem. Segundo um frentista do local, a subida do preço não fez o movimento cair. “As pessoas tiveram aquele pequeno impacto na hora de pagar, mas o fluxo está normal”, explicou.

Para o advogado Paulo Nery, 45, o preço da gasolina está um pouco acima do que estava sendo cobrado na semana passada, ele relata que em comparação a outros meses que o combustível chegou ao valor de R$ 4,99, o valor de hoje ainda pode ser suportado. “Todos os meses acontece essa variação e já estamos acostumados, agora é tentar economizar e saber pesquisar valores abaixo do cobrado”.

De acordo com vice-presidente do Sindicato dos Combustíveis do Amazonas (Sindicombustíveis-AM), Geraldo Dantas, o aumento se deve ao valor repassado das refinarias aos postos de combustíveis e infelizmente quem sofre são os consumidores. “Trata-se da sétima alta já realizada no mês de março e do valor mais alto desde novembro do ano passado. Em 2019, o avanço chega a 21,47%. Culpa de quem ? empresários? não é do governo federal”, explicou.

De acordo com o Diretor Presidente da Ouvidoria e Proteção ao Consumidor (Procon Manaus), Rodrigo Guedes, o órgão deu início a uma fiscalização nos postos de combustíveis, em vários bairros da capital. Cinco postos foram multados por conta dos reajustes, após reclamação de clientes. Proprietários foram notificados para apresentarem as notas fiscais relativas a compras dos produtos junto às distribuidoras.

VÍDEOS