Amazonas registra 1,1 mil novas vagas formais, diz Caged

Segundo os dados do Caged, em outubro, foram confirmadas 11,3 mil contratações, contra 10,1 mil demissões. O saldo é 45,4% menor que a sobra de empregos formais de outubro de 2017

Da Redação contato@jornaldezminutos.com.br

O Amazonas encerrou o mês de outubro com saldo de 1,1 mil vagas de empregos formais, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério dos Transportes e Empregos (MTE), divulgados ontem. Em outubro, foram confirmadas 11,3 mil contratações, contra 10,1 mil demissões. O saldo é 45,4% menor que a sobra de empregos formais de outubro de 2017, quando o resultado entre admissões e demissões totalizou 2,6 mil postos ocupados.

O saldo de outubro passado foi assegurado pelos resultados positivos dos setores de Serviços e do Comércio que totalizaram 649 e 495 vagas formais, respectivamente. A Construção Civil registrou saldo de 145 empregos e a Agropecuária, 195 postos.

O saldo de outubro passado foi assegurado pelos resultados positivos dos setores de Serviços (649 vagas) e do Comércio (495 vagas formais) ( Antônio Cruz/ABr)

Já entre os setores que assinalaram mais demissões que contratações, o destaque ficou com a Administração Pública que perdeu 271 postos.

No ano, o saldo é de 7,2 mil empregos, diferença de 116 mil contratações ante 108 mil desligamentos. Em 12 meses, o saldo é de 6,3 mil empregos após 136 mil admissões e 130 mil demissões.

O Brasil terminou o mês de outubro com saldo de 57,7 mil postos de trabalho formais, o que representa uma variação de 0,15%, em relação ao mês anterior. O desempenho é resultado de 1,279 milhão de admissões e 1,221 milhão de desligamentos. Entre janeiro e outubro, houve crescimento de 790,5 mil empregos – uma variação positiva de 2,09%. O saldo acumulado deste ano é o melhor desde 2015. Nos últimos 12 meses, foram gerados 444,4 mil postos de trabalho (alta de 1,16%).

O aumento no número de empregos foi registrado em seis dos oito setores econômicos. O melhor desempenho foi observado no setor de Comércio, com expansão de 34,1 mil postos de trabalho. No Comércio Varejista foram criados 28.984 vínculos, o que representa crescimento de 0,39%.

VÍDEOS