Liliane fala de propostas e comenta sobre falta de experiência e registro de candidatura indeferido

Jornalista Liliane Araújo (PPS) foi a quarta entrevistada na série de sabatinas do programa DEZ NA TV, da REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO, nesta quinta (20)

A candidata foi cautelosa ao falar de suas ações se for eleita (Foto: Raquel Mendes)

Liliane que já disputou uma eleição para o cargo de vereadora e deputada estadual, e não se elegeu em nenhuma, afirmou que nesta eleição as pessoas dão manifestações de apoio explicitas.

“O cidadão quer mudança, quer romper o passado, e dar oportunidade a uma pessoa trabalhadora e que quer fazer o melhor para o Estado”, comentou.

A candidata foi cautelosa ao falar de suas ações se for eleita, pois, ela considera que o momento é adequado para seguir um plano emergencial e elencar as prioridades do Estado.

Liliane disse que um dos principais focos do plano de governo é recuperar a saúde financeira do Amazonas, revendo contratos e quebrar contratos com empresas envolvidas em escândalos de corrupção e não prestam serviços adequados à população.

“Queremos investir nas pessoas na área de saúde, educação, segurança, geração de emprego e infraestrutura. Não serei leviana em dizer que vou entregar escolas, hospitais e delegacias. O que temos para essa gestão curta é fazer funcionar o que já existe. Tenho que dar de volta ao cidadão o que já é dele e hoje está abandonado”, disse Liliane ao criticar a gestão passada.

Ao ser questionada sobre a falta de experiência em administração pública e política a candidata afirmou que vai focar no trabalho para, segundo ela, fazer com que as pessoas se sintam dignas.

“Eu não tenho experiência em falir o Estado. Temos que avaliar a competência, pois, os experientes faliram o Amazonas e eu não quero isso para o meu currículo. Ninguém governa sozinho. Terei um secretariado sério e competente, sem amarras políticas e sem apadrinhamentos. Quero ser a pessoa que vai trabalhar pelo povo do Amazonas”, ponderou.

Registro indeferido

A candidata teve o registro de candidatura indeferido pela justiça eleitoral, por ausência de filiação partidária, para concorrer ao cargo de governadora na eleição suplementar confirmada para o dia 6 de agosto deste ano.

Liliane Araújo alegou que é filiada ao PPS desde o dia 25 de novembro de 2016 e que, o que pode ter ocorrido, é uma interpretação de duplicidade na filiação dela pelo TRE. Segundo a candidata, o PPS passou por intervenção, e a filiação pode não ter sido registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Meu jurídico está cuidando disso e, no dia da eleição, meu nome e meu número vão aparecer nas urnas. Estou amparada pela justiça eleitoral para continuar candidata”, salientou a candidata.

 

VÍDEOS