Ex-governador cassado José Melo permanecerá preso, no CDPM

A Justiça Federal acatou o pedido do Ministério Público Federal (MPF) de manter Melo detido no CDPM, segundo informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap)

Stephane Simões / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Após o pedido do Ministério Público Federal (MPF), a prisão temporária do ex-governador cassado José Melo foi prorrogada por mais de cinco dias, segundo informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Melo, que foi preso pela Polícia Federal (PF), na última quinta-feira (21), durante a operação ‘Estado de Emergência’, cumpre prisão temporária no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

O ex- governador cassado é investigado pelos crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa, segundo informação da PF (Foto: Sandro Pereira)

A decisão foi proferida pelo juiz federal plantonista Wendelson Pereira Pessoa, ainda nesta segunda-feira (25), por volta das às 19h. O magistrado foi o mesmo que liberou, no último sábado (23), o médico Mouhamad Moustafa, acusado de comandar o esquema criminoso que, segundo o MPF, desviou mais de R$ 100 milhões do Estado; o ex-secretário da Casa Civil do governo José Melo, Raul Zaidan; Keytiane Evangelista de Almeida e José Duarte dos Santos Filho.

O ex- governador cassado é investigado pelos crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa, segundo informação da PF. Ainda de acordo com a investigação, Melo recebia pagamentos periódicos de propina dos membros da organização criminosa que desviou cerca de R$ 110 milhões da saúde do Estado.

A operação batizada pela PF como ‘Estado de Emergência’, fazendo referência à situação de calamidade pública que se encontrava a prestação de serviços públicos de saúde no Estado, durante a gestão de José Melo, possibilitou a prisão temporária do ex-governador.

Liberações

No último sábado (23), o médico Mouhamad Moustafa, acusado de comandar o esquema criminoso que, segundo o MPF, desviou mais de R$ 100 milhões do Estado; o ex-secretário da Casa Civil do governo José Melo, Raul Zaidan; Keytiane Evangelista de Almeida e José Duarte dos Santos Filho foram soltos com base na decisão do juiz federal substituto, Wendelson Pereira Pessoa, que indeferiu, na noite da última sexta-feira (22), o pedido de prisão preventiva dos quatro envolvidos na operação ‘Custo Político’, deflagrada pela PF.

O ex-secretário Evandro Melo, irmão do governador cassado José Melo, foi solto na tarde deste domingo (24) e passou o Natal com a família A decisão judicial converte a prisão temporária em prisão domiciliar com monitoramento por meio de tornozeleira eletrônica.

Evandro Melo, ex-secretário de Administração e Gestão, foi preso na operação ‘Custo Político’ deflagrada pela Polícia Federal, no dia 14 deste mês. De acordo com as investigações, Evandro recebeu durante 18 meses a quantia de R$ 300 mil desviada de recursos públicos da saúde.

VÍDEOS