Casa de governador Amazonino Mendes tem obra ‘milionária’

Trabalhadores usam uniforme da MCW Construções, que recebeu, em 2017, R$ 20,1 milhões do governo do Estado, sendo R$ 9,6 milhões, ou cerca de 50%, após a posse do governador

Asafe Augusto

Manaus – Um muro de arrimo, de aproximadamente 100 metros de comprimento e cinco de altura, está sendo construído na margem do Lago do Tarumã, nos fundos do terreno da casa onde mora o governador do Amazonas, Amazonino Mendes (PDT), no bairro Tarumã, zona oeste de Manaus, por operários que utilizavam o uniforme da MCW Construções, empresa que mantém contratos com o governo do Estado.

Trabalhadores usam uniforme da MCW Construções, que recebeu, em 2017, R$ 20,1 milhões do governo do Estado

De acordo com trabalhadores da vizinhança, que pediram para não ser identificados, a obra começou em outubro do ano passado, logo depois que Amazonino assumiu o governo do Estado pela quarta vez. No local não há placas indicando o licenciamento da obra, que pode estar avaliada em mais de R$ 1 milhão, incluindo mão de obra, transporte de material e maquinário, como retroescavadeira, balsa e empurrador.

A equipe de reportagem da REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO esteve no local e constatou que, no porto da casa do governador estava atracando a balsa ‘Cidade de Manaus-AM’, com um carregamento de toneladas de pedras em bloco para a obra. Ao perceberem a equipe, os operários pararam de trabalhar e tentaram se esconder, enquanto um segurança, que apontava uma arma, não deixou a equipe desembarcar e gritava que iria chamar a Marinha para impedir a aproximação, fotografias e vídeos no local. O muro serve de porto para os barcos do governador, entre eles, o ‘Negão Number 1’, que estava abrigado numa garagem flutuante.

Milhões

A MCW recebeu, em 2017, R$ 20,1 milhões do governo do Estado, via Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), sendo R$ 9,6 milhões, ou cerca de 50%, após a posse de Amazonino, no dia 4 de outubro do ano passado. Os dados são do Portal da Transparência do Estado. A empresa mantém contratos com o Estado para pavimentação de ruas em municípios do interior, recuperação de vicinais e construções de pontes, como a do Pera, no município de Coari.

De acordo com o site Consulta Sócio, a empresa faz parte de um grupo empresarial do Amazonas que tem oito grandes empresas, pertencentes à Constroi Incorporadora e Loteadora Eireli, com capital social de R$ 5.822.814,00. No ano passado, o Tribunal de Contas do Estado (TCE), ao julgar irregulares as contas da Secretaria de Estado da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), de 2014, do então secretário Marcelo Gomes de Oliveira, determinou a devolução de R$ 29,4 milhões, incluindo R$ 8,6 milhões pela MCW, por “atos de gestão ilegítimos e antieconômicos praticados com graves infrações à norma legal e contábil”.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) e perguntou, via e-mail, quem está pagando a obra, quanto custou e se está licenciada pelos órgãos ambientais estaduais e federais. A Secom não se manifestou.

No ano passado, quando era candidato a governador, Amazonino declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 118,5 mil de patrimônio, ou R$ 2.981,5 milhões a menos que em 2008 quando declarou bens no valor de R$ 3,1 milhões. Em 2001, uma outra casa de Amazonino, também no Tarumã, com 2,5 mil metros quadrados, virou notícia nacional e rendeu manchetes em diversos jornais e revistas.

VÍDEOS