Afeam vai destinar R$ 500 mil para detentos abrirem negócios

Microcrédito será concedido pela Agência de Fomento do Amazonas para a Secretaria de Administração Penitenciária selecionar presos do regime semiaberto a realizarem investimentos

Álisson Castro contato@jornaldezminutos.com.br

A Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) vai disponibilizar R$ 500 mil para a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) selecionar presos a investir em pequenos negócios. Serão gastos R$ 250 mil no primeiro semestre de 2019 e mais R$ 250 mil no segundo semestre de 2019 com empreendimentos ‘tocados’ por presos do regime semiaberto, egressos do regime aberto e liberados provisórios.

O termo aditivo para o programa foi publicado no último dia 6 e é assinado pelo representante do acionista majoritário da Afeam Marcos Vinicius de Castro.
Segundo a Afeam, o programa Reintegrar, coordenado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e com recursos administrados pela Agência de Fomento do Estado do Amazonas S.A (Afeam), existe desde 2017. “O termo aditivo de cooperação técnica e financeiro celebrado entre as instituições dispõe de recursos para todo o ano de 2019, por meio do Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (FMPES)”.

“O projeto é voltado para a ressocialização de Pessoas Privadas de Liberdade (PPLs), proporcionando um incentivo financeiro para abertura do próprio negócio. Isso porque, após saírem da unidade prisional, eles encontram dificuldades para voltar ao mercado de trabalho formal”.

Ainda segundo a Agência, a linha de financiamento disponibilizada pela Afeam destina-se exclusivamente para a geração de oportunidade e capacidade de renda, além da reintegração deste público à sociedade. “As pessoas dentro do perfil são criteriosamente selecionadas e acompanhadas pela Seap, passam por palestras de orientação de crédito, capacitação técnica e oficinas de gestão de negócios”.

O sistema prisional já foi motivo de polêmica na atual gestão de Wilson Lima.

Recursos serão liberados para empreendimentos a serem ‘tocados’ por detentos do regime semiaberto. (Foto: Sandro Pereira 04/07/16)

VÍDEOS