Polícia prende quarto suspeito de envolvimento em duplo homicídio, no Mutirão

Cleyson Leonardo Soares Waughan, 19, foi preso suspeito de envolvimento no crime ocorrido no último dia 17 de maio. Ele foi reconhecido devido a uma tatuagem na mão esquerda

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A Polícia prendeu, na noite de segunda-feira (21), o quarto suspeito de envolvimento no duplo homicídio, do último dia 17 de maio, no bairro Amazonino Mendes, também conhecido como ‘Mutirão’, na zona norte de Manaus. Cleyson Leonardo Soares Waughan, 19, foi preso suspeito do crime. Ele foi reconhecido devido a uma tatuagem na mão esquerda.

Corpos foram encontrados com um tiro na cabeça. (Foto: Jimmy Geber)
Conforme a Força Tática, da Polícia Militar, Cleyson tem a tatuagem de uma flor na mão esquerda e estava usando um relógio dourado no momento da prisão. A tatuagem e o relógio são semelhantes aos vistos em fotografias, obtidas pela polícia, após o duplo homicídio. Na foto, é possível ver parte do antebraço e a mão esquerda de um homem apontando um revólver para os dois homens, vítimas do duplo homicídio, ainda vivos.

Cleyson foi preso, na noite de segunda, em um táxi, modelo Voyage de placas PHE-7683, que foi abordado pela Força Tática, no trecho da Avenida Camapuã, pertencente ao ‘Mutirão’. Os policiais estavam em patrulhamento de rotina e abordaram o homem após suspeitarem do homem no carro. Embaixo do banco do motorista, os policiais apreenderam um revólver, de calibre 38, com seis munições intactas.

Os policiais questionaram sobre o revólver e Cleyson afirmou, aos PMs, que a arma era para a própria segurança. Cleyson é suspeito de participação no duplo homicídio. Para a polícia o crime está relacionado à disputa de facções criminosas rivais. A suspeita da polícia é que os presos pertencem à facção Família Do Norte (FDN) e mataram integrantes do grupo criminoso rival: Comando Vermelho (CV).

Outros presos

No dia 18 de maio, um dia depois do duplo homicídio, a Força Tática prendeu Paulo Ricardo de Abreu Oliveira, 29, Isaias Sales de Oliveira, 18, e Bruno Washington Oliveira da Silva, 21, suspeitos do crime.O trio foi denunciado à polícia sob suspeita do duplo homicídio.

Com eles, a polícia encontrou uma metralhadora e duas espingardas. Para a polícia, eles confirmaram que se preparavam para invadir a ‘boca de fumo’ do traficante de drogas Clemilson dos Santos Farias, conhecido como ‘Tio Patinhas’, ligado ao CV, e matariam traficantes rivais.

VÍDEOS