Homem confessa ter matado pastor durante assalto, no Manoa: ‘acidentes acontecem’

Rafael Sampaio França, preso por latrocínio, afirmou que o disparo, efetuado durante o roubo, foi acidental. Adolescente apreendido monitorava rotina da vítima

Carla Albuquerque / redacao@diarioam.com.br

Manaus – “Acidentes acontecem”. A frase foi dita, na manhã desta segunda-feira (14), por Rafael Sampaio França, 21, preso pela Polícia Civil (PC) após confessar ter assassinado, durante um assalto, o pastor e microempresário Diogo Gonzaga da Silva, 34, em abril deste ano, na zona norte de Manaus. Além de Rafael, um adolescente de 17 anos também foi apreendido suspeito de participar do latrocínio.

Rafael foi indiciado por latrocínio e será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (Foto: Pablo Trindade)

Rafael, segundo o delegado de Roubos e Furtos, Adriano Félix, foi preso na última sexta-feira (11), em Manicoré (a 332 quilômetros a sudoeste de Manaus). De acordo com o delegado, ele estava escondido na casa de amigos, após ter praticado o crime. O suspeito foi preso em cumprimento de mandado de prisão preventiva, expedido pelo juiz da 2ª Vara Criminal, Eliezer Fernandes Júnior. Félix contou que o adolescente foi apreendido, também na sexta-feira, pela Polícia Militar, enquanto praticava roubos em Manaus.

Na manhã desta segunda-feira, o delegado explicou que, em depoimento, Rafael confessou todo o crime. À polícia, ele disse que mandou o adolescente monitorar a rotina do microempresário porque sabia que, todas as noites, um funcionário ia deixar a renda da rede de lanchonete. “O menor ia lanchar e aproveitava para verificar a rotina dos funcionários e a movimentação do local”, disse Félix.

Na madrugada do dia 1º de abril, a dupla seguiu o funcionário de Diogo e, quando ele chegou na casa, no Conjunto Manoa, na Cidade Nova, anunciou o assalto. Após terem entrado na casa e roubado R$ 1,6 mil, o pastor reagiu e acabou baleado. A arma usada no crime foi deixada no local. A dupla fugiu depois de o adolescente ter recolhido o dinheiro.

Ao ser apresentado à imprensa, nesta segunda-feira, Rafael disse que o disparo foi acidental. “Acidentes acontecem. Não queria matar ele. A gente entrou lá para roubar, mas acidente acontecem. Agora, quero aqui pedir desculpas a família pelo que eu fiz”, disse.

O pai de Diogo, o comerciante Mario Jorge Viana, 57, afirmou que quando a dupla entrou na casa e matou o homem, não pensou nas consequências. “Eu não sei se agora eu terei forças para perdoá-lo. Meu filho não voltará mais. Ele (Rafael) deveria ter pensado nisso antes de ter usado drogas e matado meu filho”, declarou, ao fazer agradecimentos à polícia e pedir Justiça com relação aos presos. Revoltada, uma familiar de Diogo ainda chegou a quase agredir o suspeito, durante a coletiva.

Rafael foi indiciado por latrocínio e será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM). Já o adolescente, que já responde a vários atos infracionais por roubo, foi indiciado também por latrocínio e já está à disposição da Justiça, no Centro Socioeducativo Dagmar Feitosa.

VÍDEOS