PC ouve médicos após denúncia sobre bebê degolado durante parto

Familiares informaram que só perceberam o corte no pescoço da criança quando estavam levando para enterrar. Susam diz que procedimentos adotados visaram salvar a vida da mãe

Sofia Lorrane

Manaus – A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) ouviu médicos e servidores do Hospital Francisco Sales de Moura, em Anamã (a 165 quilômetros a oeste de Manaus), sobre a denúncia de um bebê que morreu após ter sido degolado durante um parto, na última quinta-feira (15), na cidade. Familiares da mãe do bebê, Valcilene Ferreira de Melo, 32, informaram que perceberam o corte no pescoço da criança quando estavam levando corpo para a comunidade onde eles moram.

De acordo com Lidiane de Souza Melo, 23, irmã da paciente, o médico não informou sobre o corte feito durante o parto. “Em nenhum momento eles falaram o que aconteceu, fomos perceber o corte quando chegamos no barco para levar o corpo para a comunidade que ela mora. A minha outra irmã viu que estava saindo muito sangue e decidiu abrir o lençol, quando viu que o pescoço dele estava cortado”, disse Lidiane.

Caso aconteceu no município de Anamã (Foto: Reprodução/Google Maps)

De acordo com a irmã de Valcilene, o médico disse que a paciente teria um parto natural. “Ela foi para a sala de parto, depois de um tempo a enfermeira pediu a roupa da criança e, depois, já trouxe o bebê enrolado em um lençol, mandando que a gente levasse para enterrar, porque ele já estava morto”, contou.

Lidiane relatou, ainda, que a direção do hospital informou que o procedimento foi necessário para salvar a vida da mãe do bebê. “Quando fomos lá perguntar que corte era aquele, eles disseram que tinham feito aquilo para salvar a vida da minha irmã. Falaram que quando passou a cabeça do bebê, ele já estava morto, precisaram cortar, colocaram o corpo para dentro e fizeram a cesariana para tirar o resto do bebê”, relatou.

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou, por meio de nota, que todos os procedimentos adotados visaram salvar a vida da mãe, após constatação do óbito do bebê. A secretaria disse, ainda, que a família foi consultada e deu o consentimento para os procedimentos, feitos dentro dos padrões médicos previstos para esse tipo de situação.

Ainda segundo a Susam, a equipe decidiu realizar uma cesárea para retirar o bebê, com autorização da família, mas houve dificuldade por falta de passagem para os ombros da criança. “O Hospital Francisco Sales de Moura ressalta que, com a constatação do óbito do bebê, a equipe atuou com o objetivo de salvar a vida da gestante, que recebeu alta na segunda-feira (19), após ficar internada por cinco dias submetida a medicação e passando por acompanhamento psicológico”, informou.

De acordo com a PC-AM, um Boletim de Ocorrência (B.O) sobre o caso foi registrado na 81ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Anamã. Segundo o delegado Caio Bruno Sabino, os médicos e servidores do hospital já foram ouvidos. A mãe da criança será ouvida na próxima quinta-feira (22).

VÍDEOS