Operação Captura resulta na prisão de 97 suspeitos em diversos crimes

Dentre os crimes dos mandados de prisão constam estupro, tráfico de drogas, roubos, homicídio, dentre outros. Outros 72 mandados de prisão foram cumpridos pelo não pagamento de pensão alimentícia

Manaus – A Polícia Civil (PC) prendeu 97 suspeitos, entre a última segunda-feira (16) e sexta-feira (20), em todas as zonas da capital. Participaram da operação Captura, policiais civis dos 30 Distritos Integrados de Polícia (DIPs), de Manaus.

Dentre os crimes dos mandados de prisão preventiva, constam estupro, tráfico de drogas, roubo, homicídio, dentre outros. A operação teve como objetivo prender os suspeitos que já tiveram os mandados de prisão expedidos e que se encontravam nas ruas, além de pessoas que estão inadimplentes com a pensão alimentícia.

Operação Captura resulta na prisão de 97 suspeitos em diversos crimes, em Manaus (Foto: Raquel Miranda)

Foram 72 mandados de prisão cível pelo não pagamento de pensão alimentícia, 25 mandados de prisão preventiva pelos crimes de homicídio, homicídio tentado, roubo, tráfico de drogas, furto, estupro, estupro de vulnerável. Outros cinco mandados são de busca e apreensão em nome de cinco adolescentes.

“O delegado-geral pediu que fizéssemos essa operação para cumprirmos mandados tanto criminais quanto cíveis. Iniciamos na segunda e estamos encerrando nesta sexta-feira. Estamos cumprindo a nossa missão e dando uma resposta à sociedade “, afirmou o delegado Geraldo Eloi, diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM).

Ainda conforme o delegado, algumas pessoas presas por não pagamento de pensão alimentícia já foram regularizadas e liberadas. “Os indivíduos que estão com mandado de prisão criminal expedido pela Justiça do Estado do Amazonas serão recolhidos às unidades prisionais com o objetivo de pagarem pelos seus crimes”, disse Eloi.

O delegado relatou, ainda, que as pessoas presas por mandados de prisão civil serão recolhidas às unidades recomendadas pela Justiça. “Essas pessoas permanecerão lá até que cumpram as suas obrigações com a Justiça”, afirmou.  Em relação à quantidade de mandados de prisão civil, Eloi disse que o número impressiona.

“É um fato que chama a atenção, mas como tínhamos feito apenas mandados criminais, recebemos essa demanda das varas de família, junto à Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP) e decidimos também dar cumprimento a esses mandados. Como vocês podem observar, o número é grande”, explicou.

Questionado sobre a natureza da operação, o delegado respondeu que ela foi feita em decorrência da quantidade de mandados a serem cumpridos. “Nós temos uma demanda significativa de mandados de prisão e por isso realizamos essa operação. De início, apenas com mandados criminais, para retirar das ruas pessoas que haviam cometido delitos, estão com mandado de prisão expedido e continuavam em liberdade”, afirmou.

Diante da postura de alguns dos presos, que sorriam durante a coletiva de imprensa realizada na Delegacia Geral da Polícia Civil nesta sexta-feira, Eloi disse que a Justiça é implacável. “Talvez essas pessoas ainda não tomaram consciência da gravidade dos crimes que cometeram. Mas a Justiça é implacável. Se você cometer algum delito, a polícia com certeza irá investigar, instaurar um inquérito policial e encaminhar à Justiça para que a pessoa que infringiu a lei seja processada, julgada e condenada ou posta em liberdade”, disse.

Encaminhamentos

De acordo com a PC, os 92 homens presos serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) e quatro mulheres serão levadas para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF). Uma mulher, presa por dívida de pensão alimentícia, foi liberada depois de efetuar o pagamento. Os cinco adolescentes serão enviados à Delegacia Especializada em Atos Infracionais (Deaai).

Uma das adolescentes, grávida, será julgada pelo Ministério Público, que decidirá se ela cumprirá medida socioeducativa ou responderá em liberdade.

VÍDEOS