Mulher que cortou barriga de grávida queria dar um filho ao marido, diz delegado

Crime chocou moradores do município de São Sebastião do Uatumã. Casal dopou e cortou barriga de grávida de oito meses para retirar bebê

Gabriel Machado / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Alex da Silva Carvalho, de 18 anos, e Joelma Queila Santana da Silva, 22, autores do homicídio de uma jovem de 20 anos, grávida de 37 semanas, foram apresentados à imprensam na manhã deste sábado (21), na sede do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), localizado na Avenida Nilton Lins, Bairro Flores, zona centro-sul de Manaus. O crime aconteceu na noite da última quarta-feira (18), no município de São Sebastião do Uatumã (a 247 quilômetros a leste de Manaus).

Alex e Joelma foram autuados por homicídio duplamente qualificado (Foto: Yago Frota/Divulgação)

Os suspeitos foram presos quando tentavam fugir, de barco, para o município de Itapiranga. Joelma estava com a criança recém-nascida no colo e chamou a atenção de alguns populares e tripulantes da embarcação por não estar levando consigo nenhum utensílio de cuidado para criança e, também, pelo choro incessante do bebê.

“Eles (os tripulantes) perceberam que ela não amamentava a criança e me procuraram assim que o barco chegou a Itapiranga”, disse o delegado titular da 44ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), Claudenor Medeiros.

A partir da denúncia dos tripulantes, Claudenor deslocou uma equipe da unidade policial ao município. Joelma e Alex foram interceptados por volta das 9h de quinta-feira (19), na orla de Itapiranga, no momento do desembarque.

Em depoimento, a dupla informou que encontrou com a vítima em uma lanchonete, em São Sebastião do Uatumã. Em um momento de distração da jovem, Joelma colocou uma substância tranquilizante na bebida da gestante, que, instantes depois, veio a desmaiar.

Em seguida, ela foi levada até uma área de mata, onde ocorreu o crime. Os infratores utilizaram uma faca para a remoção do bebê. A vítima morreu no local. “A Joelma realizou o parto, pois já tinha assistido à cesariana do seu filho. Ela afirmou que não conseguia engravidar do atual marido e que queria muito poder dar a ele um filho do sexo masculino. Ela contou com a ajuda de Alex para conseguir o que queria e ofereceu a ele R$ 4 mil, que nunca foram pagos”, completou o delegado.

Conforme Claudenor, ainda, Joelma mentia ao marido, afirmando estar grávida. A suspeito chegou a fazer pré-natal.

Alex e Joelma foram autuados por homicídio duplamente qualificado. A dupla foi encaminhada a Manaus, onde permanecerá à disposição da Justiça. O bebê recém-nascida está bem e segue sob os cuidados da avó materna.

VÍDEOS