Homem é executado com 40 tiros enquanto fazia entrega de marmitas, no Coroado

Wesley Evangelista Rego havia sido preso, em maio de 2016, com porções de drogas. O pai dele, diretor do Sindicato dos Rodoviários, informou que não sabe o que motivou o crime

Carla Albuquerque

Manaus – O entregador de marmitas Wesley Evangelista Rego, 24, foi executado com ao menos 40 tiros, na noite da última terça-feira (20), no Conjunto Ouro Verde, no Coroado 3, zona leste de Manaus. De acordo com informações da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o crime foi praticado por ocupantes de um Voyage preto. A suspeita, segundo a polícia, é de que o crime está relacionado com o tráfico de drogas.

Constam nas investigações da DEHS que Wesley, que é filho do diretor do Sindicato dos Rodoviários do Amazonas, Elcio Campos, havia saído de casa, no loteamento Parque das Garças, por volta das 20h, para fazer entrega de marmitas, no carro do pai, um Voyage.

Criminosos abordaram a vítima quando ela passava pela rua dos Tucanos, no Conjunto Ouro Verde (Foto: Raquel Miranda)

Segundo a polícia, por volta das 23h, ele foi interceptado na Rua dos Tucanos, no Conjunto Ouro Verde, por ocupantes de um Voyage preto. Conforme testemunhas, ao menos dois homens desceram do veículo, obrigaram Wesley a descer do carro no qual estava e começaram a atirar.

De acordo com a polícia, ele foi morto com ao menos 40 tiros. No local do crime foram encontradas pela perícia 44 cápsulas, sendo 33 de pistola calibre 9 milímetros e 11 de calibre ponto 40. Os tiros atingiram, principalmente, a cabeça, peito e barriga da vítima.

Por telefone, o pai de Wesley, o sindicalista Elcio Campos, informou que a família desconhece o que motivou o crime. Ele também negou o fato do filho ter sido preso com drogas em 2016. “A polícia pegou com ele uma porção não com a quantidade que apresentaram na delegacia. A gente não sabe porque fizeram isso”, disse.

Campos disse, ainda, que câmeras de vigilância do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) e de uma empresa, próximo ao local do crime, identificaram o carro usado pelos criminosos. O crime segue em investigação pela DEHS.

Processo

Consta no site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) que Wesley tinha sido preso, em maio de 2016, com 318 porções de droga, entre cocaína e oxi, na área do Igarapé do 40, na zona sul. Em depoimento à polícia, à época, ele informou ter comprado a droga por R$ 500 mil.

VÍDEOS