Homem é baleado após ‘passar a mão’ em mulher de policial, diz PM

Por Laís Motta


Manaus –  O estudante Raimundo Martins Rodrigues, 18, levou um tiro na região da clavícula, após um desentendimento com um soldado policial militar, na madrugada deste domingo, em Maués (a 276 quilômetros a leste de Manaus). A suspeita é que Raimundo tenha tocado nas partes íntimas da esposa do policial militar, segundo o comandante do Policiamento do Interior (CPI), tenente-coronel Pedro França.

A mãe do estudante, a encarregada de obras Rosângela Valente Martins, 38, informou que só sabia que o filho estava em um praça em Maués, onde foi atingido com um tiro por um policial. “Não sei dizer o que aconteceu. Levaram ele pro hospital e trouxeram ele pra cá (Manaus). Eu perguntei do meu filho. Eu falei que pra acontecer alguma coisa ou mexeu com a mulher ou outra coisa. O meu filho não soube dizer, ele não soube falar e ele nem pode falar”, disse Rosângela.

Segundo o coronel França, o suspeito de atirar contra Raimundo é um policial militar identificado como L. Vasconcelos, que teria disparado após o estudante passar a mão nas partes íntimas da esposa do soldado. A mulher não teve o nome divulgado.

Raimundo foi transferido de Maués para Manaus e levado para o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio na manhã de domingo. Por conta do ferimento, Raimundo está com um aparelho no pescoço. A bala ficou alojada no peito do estudante e ele passaria por cirurgia na tarde de ontem (12). Rosângela aguarda o estado de saúde do filho melhorar para saber o que causou a confusão. “Após a cirurgia a gente já vai saber o que realmente aconteceu”, afirmou a encarregada de obras. A família de Raimundo registrou um boletim de ocorrência contra o policial militar, na delegacia de Maués.

O soldado da PM chegou a ser preso na 10ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), em Maués, mas fugiu por volta de 4h de domingo. Até o fechamento desta matéria, não havia novas informações sobre o paradeiro do policial militar. A assessoria da Polícia Militar foi procurada para informar se será aberto algum procedimento contra o soldado, mas não forneceu resposta até as 19h30.

VÍDEOS