Falso policial civil é preso com coletes balísticos, diz PM

A polícia também foi apreendeu uma carteira funcional falsa da PC. Junto com o homem, foram presos outros dois suspeitos. O trio é suspeito de extorsão

Carla Albuquerque / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Luis Torres Baima, 43, que, segundo a Polícia Militar (PM) se passava por policial civil, foi preso junto com Almir Maquiné da Fonseca, 50, e João Wagner Vilhena de Carvalho, 43, nesta segunda-feira (5), em Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus). De acordo com informações da assessoria da Polícia Civil (PC), a prisão aconteceu após o trio ter extorquido um comerciante, 33.

Os três foram autuados, em flagrante, por extorsão (Foto: Divulgação/PM)

A PC informou que os suspeitos foram até a casa do comerciante, na manhã desta segunda-feira, para cobrar um valor, em dinheiro, que o homem estaria devendo. Quando chegaram ao local, os três teriam rendido o homem e ameaçado a vítima de morte, caso não desse todo o dinheiro exigido.

Polícia diz ter apreendido coletes com os suspeitos (Foto: Divulgação/PM)

Segundo a polícia, por medo das ameaças, o comerciante entregou R$ 1 mil aos suspeitos. A polícia afirmou o trio fugiu levando objetos de valor da casa do homem.

O comerciante denunciou o caso à PM. Policiais do 9º Batalhão foram informados que os suspeitos estavam em um Corolla preto. Segundo a polícia, o carro foi interceptado no momento em que passava em frente ao quartel.

Durante a revista, os policiais militares dizem ter encontrado dois coletes balísticos com a logo da PC, quatro celulares, uma porção de oxi, o dinheiro da vítima e objetos de valor do comerciante. Segundo a PM, também foi apreendida uma carteira funcional falsa da PC.

De acordo com a polícia, os coletes foram encaminhados para a perícia e os objetos roubados foram devolvidos ao comerciante.

Almir, João e Luís foram autuados, em flagrante, por extorsão. Eles foram levados para a Delegacia Regional de Manacapuru, onde, segundo a polícia, foram reconhecidos pelo comerciante. Os suspeitos devem ficar presos na carceragem da delegacia, que funciona como unidade prisional.

VÍDEOS