‘Era eu ou ele’, afirma suspeito de matar advogado a facadas

A briga entre Walberthe Vieira Cabral e o advogado Delano José da Silva começou após a companheira do suspeito ter dado o número ao advogado

Stephane Simões contato@jornaldezminutos.com.br

“Eu perdi o controle. Eu sei que errei e estou aqui assumindo o meu erro. Era uma vida”. Este é o relato de Walberthe Vieira Cabral, 21, que foi apresentado, ontem, em coletiva de imprensa, por suspeita de matar o advogado Delano José da Silva, 43. Walberthe se apresentou à polícia, na última sexta-feira, e contou que se entregou porque estava sofrendo ameaças por parte dos parentes do advogado, que estavam indo toda semana à casa da família dele.

O crime aconteceu no último dia 8 de novembro, em um bar, na Avenida H, conjunto Oswaldo Frota, bairro Cidade Nova, zona norte da cidade. Na ocasião, o advogado foi morto com, pelo menos, seis facadas.

Walberthe Vieira Cabral, 21, se entregou à polícia e disse que estava sofrendo ameaças por parte dos parentes do advogado Delano José (Foto: Sandro Pereira)

Ontem, durante a coletiva, na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Walberthe confessou o crime e relatou que, no dia da ação, a briga entre ele e o advogado começou após sua companheira, identificada apenas como ‘Pacífico’, ter dado o número do seu telefone para Delano José.

“A dona do bar ficou com ciúmes e jogou um copo de cerveja nele. Ele jogou o balcão em cima dela e partiu para cima dela, começou a agredi-la. Ela correu, pegou uma faca para se defender e se trancou dentro da casa”, contou o suspeito. O delegado da DEHS, Orlando Amaral, informou que a dona do bar é apontada como namorada do advogado.

Segundo o relato de Walberthe, o advogado também agrediu ‘Pacífico’. Delano José teria derrubado a mulher no chão por três vezes, fazendo com que a mesma desmaiasse. Em seguida, Walberthe começou a brigar com o advogado, enquanto a dona do bar tentava apartar a briga.

“Nessa hora, ele disse que ia me matar e matar todo mundo que estava lá no bar. Ele estava bêbado. Ele chegou lá umas 3h da manhã e já estava alucinado”, afirmou Walberthe, que disse, também, ter sido ameaçado de morte.

O advogado teria tentado agredi-lo e, após as ameaças, Walberthe pegou a faca e cometeu o crime. “Era eu ou ele. Se eu não fizesse nada, ele ia me matar, pois ele disse que ia pegar a arma que estava no carro dele”, relatou.

Segundo Orlando Amaral, a namorada de Delano José teria pegado a faca para se defender do advogado. A briga entre eles teria acabado e a mulher deixou a faca em cima de um freezer. “A confusão continuou com outras pessoas que estavam no bar”, disse o delegado.

Amaral revelou que Walberthe já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas e respondia ao crime em liberdade. Desta vez, ele foi indiciado por homicídio qualificado e será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

VÍDEOS