DEHS investiga se cobrança a traficante motivou homicídio

Uma das linhas de investigação aponta que a motivação do crime seria a cobrança que o advogado Armando de Oliveira Freitas, 79, estaria fazendo a um cliente que a polícia suspeita ser traficante

Stephane Simões e Laís Motta contato@jornaldezminutos.com.br

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) está investigando se uma cobrança que o advogado Armando de Oliveira Freitas, 79, estaria fazendo a um cliente que a polícia suspeita que seja traficante foi o que motivou o assassinato do advogado. A informação foi dada, ontem, pelo titular da DEHS, Orlando Amaral, durante a apresentação de Jerson Rodrigues Ferreira, 34, o ‘Gelson’, preso por suspeita de envolvimento no homicídio.

O crime aconteceu no dia 4 de maio deste ano, na Avenida Dutra, bairro Glória, zona oeste. Armando foi morto com três tiros, em frente ao seu escritório.

Segundo a polícia, ‘Gelson’ participou do crime clonando a placa do carro utilizado pelos suspeitos para fugirem do local do crime. Ele foi preso, na tarde da última segunda-feira, em um posto de combustíveis, na Alameda Cosme Ferreira, bairro Zumbi, zona leste de Manaus. O veículo já tinha sido apreendido no dia 15 de maio deste ano. A polícia apura a procedência do carro.

Apresentado em coletiva, Jerson Rodrigues Ferreira, 34, participou do crime clonando a placa do carro utilizado pelos suspeitos, diz a DEHS (Raquel Miranda)

Segundo Orlando Amaral, no momento da prisão, ‘Gelson’ estava vendendo um carro, no posto. “Ele já tem duas passagens por tráfico, uma por receptação de veículos e outras fraudes. O modus operandis dele é justamente roubar e clonar veículos”, acrescentou o delegado.

Após ser preso, ‘Gelson’ indicou o nome de um comparsa, que também está envolvido no homicídio. O nome do suspeito não foi divulgado. “Pelo que apuramos, ele tem receio de falar quem atirou, quem é o mandante, porque parece que a coisa é um pouco mais grave”, disse Amaral.

Uma das linhas de investigação aponta que a motivação do crime seria a cobrança que o advogado estaria fazendo a um cliente que a polícia suspeita ser um traficante. A DEHS ainda não confirma se o traficante é o mandante do crime.

Recompensa

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM) oferece R$ 10 mil a quem tiver informações sobre o assassino de Armando. Informações podem ser repassadas ao Disque Prerrogativas da OAB-AM (99128-6082 ou 99128-5644), disse o procurador-geral de Prerrogativas da instituição, Alan Johnny.

VÍDEOS