Criança com hidrocefalia abandonada em quitinete será levada a abrigo

Segundo o Conselho Tutelar, foi percebido um interesse incomum entre os familiares pelo benefício que a menina recebe do INSS. Criança segue internada, em Manaus

Girlene Medeiros

Manaus – A criança de 8 anos, com hidrocefalia, encontrada abandonada e com as costas ‘cheias’ de formiga, na última quarta-feira (4), no Petrópolis, zona sul, será levada a um abrigo e ficará acolhida no local até que a guarda seja decidida na Justiça, segundo informou a conselheira tutelar da Zona Sul, Cristiane dos Anjos, que atendeu o caso. Presa, na última quarta-feira, por abandono de incapaz, a mãe da menina, de 30 anos, vai responder ao processo em liberdade.

A criança foi conduzida a uma unidade hospitalar da capital (Foto: Raquel Miranda)

A menina está internada no Hospital e Pronto Socorro da Criança da Zona Sul e, segundo a conselheira, passa bem. A busca pelo acolhimento no abrigo aconteceu após a conselheira ter identificado que os genitores e parentes da menina não estão aptos a cuidar da criança.

Pela atitude de alguns dos parentes, Cristiane disse ter percebido que há um interesse incomum pelo dinheiro que a menina recebe por ter hidrocefalia (acumulação de líquido no crânio), um benefício concedido por meio do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

A determinação da Vara da Infância e Juventude Cível deve evitar que a criança seja inserida, novamente, em situação de vulnerabilidade devido à hidrocefalia. “Por conta do benefício, há uma guerra para ver quem vai ficar com a criança. Ela ainda está no hospital, mas já perguntaram pelo cartão do benefício”, disse Cristiane, acrescentando que o acesso dos genitores à criança serão dificultados já que o acolhimento é também uma medida protetiva.

“Fiz questão de pedir esses encaminhamentos até que seja analisada judicialmente a melhor pessoa para ficar com a menina. Ela não tinha para onde ir”, afirmou a conselheira tutelar, acrescentando que os genitores da menina estão separados e tem dificuldades no relacionamento.

O Hospital e Pronto-Socorro da Zona Sul informou, por meio de nota, que a paciente encontrava-se desidratada, em má condição de higiene e desnutrida. Ela passou por consulta pediátrica, hidratação, nutrição, cuidados de enfermagem, e segue internada aguardando transferência para abrigo, conforme orientação do serviço social da unidade de saúde.

A mãe da menina ganhou liberdade provisória após ser submetida a uma Audiência de Custódia, nesta quinta-feira (5). A determinação judicial foi concedida mediante a mulher se comprometer a não se ausentar da capital, conforme consta no processo, por abandono de incapaz, disponível no Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM).

VÍDEOS