Operação ‘Catraca Legal’ prende quadrilha suspeita de assaltos a ônibus em Manaus

Thiago Monteiro / Dez Minutos


Manaus – Quatro pessoas foram presas na tarde da última quinta-feira (3), durante a operação ‘Catraca Legal’, na comunidade Parque São Pedro, bairro Tarumã, zona oeste de Manaus. De acordo com o delegado Rodrigo de Sá Barbosa, do 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP), a ação teve como objetivo de desarticular uma quadrilha envolvida com assaltos a ônibus na comunidade. À reportagem, os suspeitos revelaram que gastavam o dinheiro do roubo com mulheres, orgias, festas, drogas e bebidas alcoólicas.

Entre os presos estão o ajudante de pedreiro Luciano Teixeira de Sá, 27, o ‘Espeto’, Samuel Freitas de Sousa, 21, o ‘Hélio’, a costureira Elinda Marques de Lima, 38, a ‘Dinha’, e o presidiário Jaimeson Moraes Fernandes, 19, o ‘Couro’. Todos foram presos por meio de mandado de prisão preventiva, da 11ª Vara Criminal.

Conforme Sá Barbosa, a primeira prisão ocorreu na Rua da Paz, na comunidade, quando Luciano estava andando pela via. Segundo o delegado, no decorrer das diligências, Elinda e Samuel foram presos na casa deles, na Rua Novo Paraíso. Jaimeson foi indiciado no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), no quilômetro 8, da Rodovia BR-174.

“Estávamos investigando o grupo há dois meses, devido ao registro de boletins de ocorrência em relação a roubos a ônibus no Parque São Pedro e na Avenida Torquato Tapajós”, disse Barbosa, que ressaltou que por mês 15 registros de assaltos a ônibus são feitos na delegacia.

De acordo com o delegado, na ação criminosa o grupo rouba a renda de coletivos e pertences de passageiros utilizando facas. “Jaimeson foi preso na semana passada pela Polícia Militar, por conta de roubo a ônibus. Também temos informações que o grupo assalta mercadinhos daqui da área e utilizam adolescentes para cometer os roubos”, explicou o delegado do 20º DIP.

À reportagem, Luciano revelou que roubava para completar a renda da família. “Usava o dinheiro em festas e com mulheres”, disse. Elinda contou que tinha comprado um dos objetos roubados e por isso foi capturada pela Polícia Civil. Samuel não quis falar sobre os crimes.

Luciano, Samuel e Jaimeson foram indiciados por roubo, associação criminosa e corrupção de menores. Eles foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisório Masculino (CDPM). Elinda foi indiciada por receptação e corrupção de menores. Ela foi encaminhada ao Centro de Detenção Provisório Feminino (CDPF).

VÍDEOS