Novo modelo vai descentralizar serviços de saúde às pessoas com HIV/AIDS

Com informações de assessoria /Dez Minutos


Manaus – A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e a Organização Não-Governamental Aids Healthcare Fundation (AHF) assinaram na última terça-feira (20), o Termo de Cooperação Técnica com o objetivo de reduzir o número de óbitos e aumentar a capacidade e a eficiência dos serviços de saúde às pessoas vivendo com HIV/AIDS em Manaus. A assinatura do Termo faz parte do Plano de Cooperação Interfederativa, em execução há dois anos no Estado do Amazonas. Essa ação traz também a descentralização dos serviços de saúde às pessoas vivendo com HIV/AIDS.

Segundo o secretário municipal de saúde, Homero de Miranda Leão, até o final do ano, a rede municipal de saúde, que atua nos serviços da Atenção Básica, passará a disponibilizar o diagnóstico precoce e o atendimento em quatro Policlínicas situadas nas Unidades de Saúde de sua rede, a exemplo do que já é feito pela Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT).

“Atualmente a Semsa disponibiliza esses serviços por meio da Unidade de Saúde Artur Virgílio, no Distrito Norte. Com o apoio da AHF acreditamos colocar em funcionamento pleno quatro unidades de saúde até o final deste ano”, destacou o secretário Homero de Miranda Leão.

Com a promessa de que, ao retornar à Manaus, o fará com o total domínio da língua portuguesa, o diretor sênior do bureau sudeste da AHF, Michael Kahane, reforçou a importância da implantação das equipes multiprofissionais, formada por médicos, farmacêutico e pessoal técnico treinado (navegadores) na saúde do visando os objetivos propostos pelo Termo de Cooperação.

“Todas as vidas são importantes. Não importam onde vivam”, disse ele, considerando fundamental que a ação leve os serviços necessários para mais perto das pessoas.

Com a assinatura do Termo de Cooperação entre a Semsa e a AHF, profissionais médicos, um farmacêutico e a equipe de navegadores passarão a integrar as equipes multiprofissionais, qualificando o atendimento e fortalecendo a reorganização do modelo de atenção às pessoas vivendo com HIV/AIDS no município.

As Policlínicas dos Distritos de Saúde que irão disponibilizar os serviços são: Artur Virgílio Filho (Norte); Maria Leonor Brilhante (Leste); Leonor de Freitas (Oeste) e Teodomiro Garrido (Sul). Além disso, a Ong Não-Governamental disponibilizará recursos para contratação de pessoal técnico treinado (navegadores) com a função de realizar o vínculo das pessoas vivendo com HIV/AIDS entre os diferentes estabelecimentos de Saúde, como a Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado, os Serviços de Atendimento Especializados em Saúde – SAES municipais e Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Dados

De acordo com o Ministério da Saúde, em abril deste ano, aproximadamente 475 mil pessoas estavam em terapia antirretroviral no Brasil (um aumento de 80% na comparação 2012­-2015). Apenas em 2015, quase 80 mil novos tratamentos foram iniciados.

O Amazonas aparece entre os estados com as maiores taxas de detecção do vírus HIV e mortalidade por Aids em todo o País. Segundo o Boletim Epidemiológico 2015 do Ministério da Saúde, o estado teve 1.517 casos de Aids em 2014, com taxa de detecção de 39,2 (no Brasil essa taxa é de 19,7 e, na região Norte, de 25,7), a maior do país naquele ano. Em 2013, foi de 35,8.

A capital também preocupa. Em Manaus, entre 2012 e 2015, foram diagnosticados 5,2 mil casos de HIV/aids em adultos. Em 2015, a taxa de detecção na capital amazonense foi de 86,7.

“A detecção elevada de casos demonstra que a transmissão continua a acontecer em níveis que precisamos reduzir, mas também indica a capacidade do município em realizar o diagnóstico. Quando implementamos o serviço, as notificações tendem a aumentar, porque estamos ampliando o acesso ao teste”, explica Homero.

Manaus possui atualmente uma rede 98 unidades de saúde ofertando testes rápidos, com 430 profissionais de saúde capacitados para testagem e aconselhamento.

ONG internacional

 A Aids Healthcare Foundation é uma entidade sem fins lucrativos com sede em Los Angeles (Estados Unidos) e que presta serviços de prevenção e testes de HIV e cuidados de saúde a pacientes infectados com o vírus. Segundo dados de setembro de 2016, a entidade atende mais de 600 mil pessoas em 36 países, por meio de clínicas globais que oferecem testes de HIV, prevenção antirretroviral e serviços de tratamento para HIV/AIDS.

VÍDEOS