Flamengo tem dia movimentado com Cartola preso na Lava Jato e Jorge rumo ao Monaco

Estadão Conteúdo / portal@d24am.com

Rio de Janeiro – O vice-presidente de futebol do Flamengo, Flávio Godinho, foi preso, nessa quinta-feira (26), durante mais uma etapa da operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF). Ele é acusado por Renato Chabar, operador do mercado financeiro e delator da operação Eficiência, de ser o responsável por toda engenharia financeira para viabilizar o pagamento de propina ao ex-governador do Rio, Sergio Cabral, que também está detido. Godinho é sócio do megaempresário Eike Batista, que também teve pedido de prisão decretado pela Justiça Federal, e vice-presidente do Grupo EBX.

Godinho, líder do futebol do Flamengo, perdeu o cargo. O departamento de futebol segue sob o comando de Rodrigo Caetano e, segundo o clube, mantém o planejamento inalterado. Já a vice-presidência de futebol passa a ser acumulada pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello.

Horas mais tarde, o mandatário rubro-negro participou de um evento de apresentação de um novo patrocinador do Flamengo, a Carabao, que terá o nome estampado nas mangas do uniforme do time, em um acordo que deverá render R$ 190 milhões ao ano ao clube. E, durante a cerimônia, o dirigente mostrou irritação ao ser questionado sobre a prisão de Godinho.

Bandeira de Mello ressaltou que o fato “não atinge em absolutamente nada o Flamengo”, a quem creditou em seguida como “maior que isso”. Ele também defendeu o trabalho que vinha sendo realizado por Godinho e disse que o agora ex-vice de futebol do Fla “sempre se pautou e esteve alinhado aos princípios de governança do clube”. “Claro que em uma hora como essa sempre aparece um coveiro para tentar desestabilizar e fazer ilações que, eu repito, são mal intencionadas. O Flamengo está acima disso tudo. Ninguém duvida das boas intenções e da boa governança do Flamengo”, ressaltou.

 

Jorge de Saída

Em uma negociação rápida, que se desenrolou da última quarta até essa quinta-feira, o Flamengo praticamente definiu a venda do lateral Jorge para o Monaco.

Jorge foi revelado na base do próprio Flamengo e ganhou espaço, no ano passado, quando se firmou entre titulares da equipe. Por ele, os dirigentes do Monaco estariam dispostos a pagar cerca de 8 milhões de euros (R$ 27 milhões), valor que seduziu os cartolas rubro-negros.

O Rubro-Negro deve embolsar em torno de R$ 25 milhões pelos 70% dos direitos econômicos que tinha do jogador, conforme último balanço. Será a maior negociação de sua história, superando os R$ 15 milhões pagos pelo Bayer Leverkusen por Renato Augusto, em 2008.

Outro rubro-negro que tem ‘nova casa’ é o goleiro Paulo Victor. Nessa quinta-feira, o jogador foi apresentado no Gaziantepspor, apenas o lanterna da atual edição do Campeonato Turco.

VÍDEOS