“Estou aberto a propostas”, diz Dodô, após se desligar do Rio Negro

Por Amanda Guimarães


Manaus – O ex-jogador da seleção brasileira Dodô, que se desligou do cargo de técnico do Rio Negro, declarou que está aberto para negociações com clubes do Amazonas e de outros estados. Durante entrevista com o Portal D24AM, na manhã desta quarta-feira (17), ele explicou que falta de estrutura e profissionalismo do clube foram o que fizeram pedir o desligamento do Galo da Praça da Saudade, junto com o preparador físico Sandro Sargentim.

Segundo ele, após suportar diversos problemas do clube amazonense, a escolha pelo desligamento foi a decisão certa a tomar.

“Com muita tristeza e decepção tivemos que pedir o desligamento. A gente já vinha suportando situações de falta de estrutura e profissionalismo em geral muito grande. Não decidi de uma hora para outra. Tentamos argumentar situações que poderiam ser feitas para melhorar o desempenho do time, mas não deu certo. Não tinha como continuar mais”, frisou Dodô.

Questionado quais foram as dificuldades encontradas no clube, em relação a parte física, Dodô narrou uma série de problemas, de forma constrangida.

“A gente sofreu muito desde quando eu cheguei aqui. No começo tínhamos apenas seis bolas para treinar. Além de realizarmos os treinamentos em rodovias distantes da cidade, que íamos em um ônibus sem ar-condicionado, também não tínhamos água para tomar. Estávamos sem suplemento para os nossos atletas que são de alto rendimento. Fico até constrangido em falar, mas também faltava atendimento médico”, lembrou.

Falando de ter pedido o desligamento do cargo antes de estrear no Rio Negro, o ex-técnico afirmou que lamentava a situação. De acordo com ele, a expectativa de fazer uma boa campanha no comando do time era muito grande.

“É um sentimento decepcionante, porque a expectativa criada em torno deste trabalho era grande. Quando cheguei aqui percebi que iria ser difícil, mas  tinha esperança de com um bom trabalho e disposição poderíamos fazer um campeonato digno. Mas tudo isso aconteceu e infelizmente não conseguimos começar o campeonato, porque para fazer futebol profissional, tem que ser profissional”, destacou Dodô.

Diferença de estrutura

O ex-técnico também destacou a diferença com o futebol aplicado no Rio Negro com  o de  Rio de Janeiro e São Paulo. Segundo ele, a partir de agora os diretores do clube amazonense precisam aprender com os erros, para prepararem uma equipe vencedora.

“Não podemos comparar o futebol amazonense com os lugares que eu joguei, como São Paulo e Rio de Janeiro. Posso dizer que não tínhamos nem o básico para se fazer futebol. Isso que me decepcionou, porque as pessoas não estão preparadas”, disse o jogador, acrescentando que o Rio Negro não possui condições para fazer grandes competições.

“É um clube centenário, mas hoje em dia não tem condições de fazer uma campeonato profissional”, destacou.

Gratidão 

Agradecendo aos torcedores do Rio Negro pelo apoio, Dodô destacou que ficou impressionado em tudo que viu em Manaus.

“Quero agradecer aos torcedores. Sonhamos juntos. Com a minha chegada aqui foi gerada uma expectativa muito grande. Fiquei impressionado com a cidade e estou aberto a proposta tanto dos times do Amazonas como de outros estados, pois o futebol é assim”, comentou o ex-técnico, destacando que pretende investir ainda mais na carreira.

“É o que eu quero fazer. O que amo fazer. Não são essas coisas pequenas que vão atrapalhar a nossa carreira”, finalizou.

VÍDEOS