Carf condena técnico Cuca a pagar R$ 3,6 milhões por impostos pendentes

Órgão entende que treinador quitou tributos sobre o lucro presumido como pessoa jurídica em vez de pessoa física

Cuca é cobrado por período em impostos pelo período entre 2006 e 2008 (Foto: JF Diorio/Estadão Conteúdo)

São Paulo – O técnico Cuca, atualmente no Palmeiras, foi condenado nesta semana pelo Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) a pagar R$ 3,6 milhões para resolver uma cobrança de Imposto de Renda relativa ao anos de 2006 a 2008, quando dirigiu no período Botafogo e Santos. Ainda cabe recurso. A informação foi publicada no site Jota, especializado em notícias jurídicas.

O processo de Cuca é semelhante a de esportistas como Alexandre Pato e Neymar. Segundo a condenação do treinador, Cuca usou na época uma empresa aberta para ele para pagar Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) a uma alíquota de 15% a 25% sobre lucro presumido. No entender da Receita, o correto seria recolher a 27,%, no entanto, o imposto como pessoa física.

No entender do Carf, os R$ 3,6 milhões são a diferença referente ao período do recolhimento entre 2006 e 2008. O órgão entendeu que como o treinador de futebol é funcionário de um clube, deveria ser aplicada a tributação de pessoa física sobre os rendimentos.

VÍDEOS