Botafogo e Grêmio empatam fora de casa e seguem líderes na Libertadores

Glorioso e Tricolor possuem a mesma campanha no torneio continenal. Com sete pontos, lideram os seus grupos e chegam ao returno da fase de grupos com grandes chances de se classificarem para o mata-mata da competição

Das Agências/contato@jornaldezminutos.com.br

Foto: Divulgação/Conmebol

Manaus – Botafogo e Grêmio chegaram a terceira rodada da Libertadores com campanhas iguais e seguem iguais. Ontem, o Glorioso buscou o empate em 1 a 1 com o Barcelona, no Equador, chegando aos sete pontos, se mantendo na liderança do Grupo 1. Já o Tricolor também empatou fora de casa, contra o Guaraní, no Paraguai, e também chegou aos sete pontos, na liderança do Grupo 8.

Com time praticamente todo reserva, o Grêmio obteve um empate heroico com o Guaraní, por 1 a 1, no Estádio Defensores del Chaco, no Assunção. Jogando com um a menos durante quase todo o segundo tempo, a equipe gaúcha arrancou a igualdade, com belo gol de Pedro Rocha. E ainda quase conquistou a virada, nos minutos finais da partida.

Michel deixou Grêmio com um a menos desde os 14 minutos da segunda etapa, ao levar o segundo cartão amarelo. Na sequência, o Guaraní abriu o placar, forçando o técnico Renato Gaúcho a colocar alguns titulares em campo para buscar o empate conseguido por Pedro Rocha, aos 34 minutos.

O Grêmio jogou com time quase todo reserva, nesta quinta, porque Renato Gaúcho decidiu poupar titulares por causa da sequência desgastante da equipe nas últimas semanas. No domingo, o time tricolor vai enfrentar o Novo Hamburgo, fora de casa, pelo segundo jogo da semifinal. O Grêmio precisa vencer ou empatar por ao menos dois gols para chegar à decisão do Campeonato Gaúcho

Domínio Alvinegro

Em Guayaquil, o Botafogo errou demais, mas na base da pressão no segundo tempo conseguiu arrancar um empate. A partida esteve à feição do Botafogo desde o início do jogo, mas o gol que manteve a equipe na ponta da tabela veio somente aos 43 minutos do segundo tempo.

Não se pode dizer que o Botafogo não tentou. Ao contrário, o time tentou até demais – mas errou na mesma medida. No primeiro tempo, foram pelo menos quatro chances claras de gol, e das mais variadas formas. Até pênalti o time teve a seu favor, desperdiçado por Camilo logo aos dois minutos de jogo.

Mesmo jogando em casa, o Barcelona era um time de contra-ataques E, como tal, precisava ser cirúrgico neles. O time teve muito menos oportunidades que o Botafogo nos primeiros 45 minutos de jogo, mas foi eficiente na melhor delas. Aos 31, Alemán saiu da direita a dribles, tabelou na frontal da grande área, driblou Gatito Fernandez e marcou 1 a 0.

Curiosamente, mesmo perdendo o Botafogo demorou a engrenar no segundo tempo. Sem o mesmo ímpeto apresentado na primeira metade do jogo, Jair Ventura decidiu ousar. Aos 19, colocou Sassá no lugar de Roger, e poucos minutos mais tarde sacou o volante Rodrigo Lindoso e lançou o atacante Guilherme.

As alterações deram maior presença ofensiva ao Botafogo, e com o tempo passando o Barcelona recuou. Para completar, Mena tomou o segundo amarelo, aos 34, e foi expulso. Desorganizado, mas pressionando, o time carioca foi para o abafa. Até que, aos 43, Arreaga colocou a mão na bola e o juiz marcou mais um pênalti para o time brasileiro. Dessa vez, Sassá bateu e conseguiu o empate.

VÍDEOS