Amazonense espera duelar com Lauren Murphy, no UFC

Da Redação / portal@d24am.com


Manaus – A lutadora amazonense Ketlen Vieira ‘Fenômeno’ tem previsão de luta para março, pelo Ultimate Fighting Championship (UFC) e para não decepcionar no octógono ela segue para o Rio de Janeiro, na madrugada desta sexta-feira (6), para realizar um ‘camp’ com o mestre Dedé Pederneiras, líder da academia Nova União, e um dos técnico mais respeitados do mundo, segundo a Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

Faixa preta de judô e faixa marrom de jiu-jítsu, conceituada no Boxe e no muay thai, Ketlen se apresenta como uma lutadora diversificada, com facilidade para levar o combate tanto em pé, em um jogo de clinch, quedas e chaves, como tambem soma um bom jogo em solo, com a capacidade de imobilizações e submissões. Ela esperar obter um bom desempenho, diante daquela que é cogitada para ser a adversária dela, a americana Lauren Murphy.

“Serão três lutas do UFC, em março, e em alguma eu serei chamada, ou seja, meu embate pode ser no Brasil ou no exterior e quem eu espero enfrentar é a Lauren, que foi a lutadora que eu e minha equipe pedimos para ser a próxima oponente. Ela está entre as 15 melhores na categoria, tem apenas uma derrota no UFC, está na franquia desde o início e é uma boa profissional, mas eu estou me preparando para vencer”, destacou a casca grossa, que ainda confia nos seus 1,72 de altura para dar trabalho à adversária.

“São poucas as atletas que são altas no UFC. Eu, a Amanda Nunes (Leoa), e a Holly (Holm), temos essa característica e é algo que avalio como um benefício. Sei que a Laura é boa de luta de chão, mas que o forte dela é luta em pé e eu gosto de derrubar e trabalhar por cima, mas venho evoluindo bastante e aprendendo a usar o peso da minha mão. Sei que ainda tenho muito o que aprender, mas confesso que estou surpresa com o tanto que consegui absolver em pouco tempo de MMA”, afirmou Ketlen ‘Fenômeno’, como também é conhecida.

A estreia de Ketlen Vieira na franquia foi em outubro de 2016, em Portland (EUA), contra Kelly Faszholz, quando a amazonense venceu por decisão dividida.

VÍDEOS