Em má fase, Gabigol briga por ascensão

Campeão olímpico pela Seleção Brasileira, o ex-atacante do Santos chegou à Europa com status de craque, mas amargou a reserva na Internazionale e agora tenta se firmar no Benfica (PORT)

Gabriel Melloni (AE)/vencer@diarioam.com.br

 

São Paulo – Titular absoluto do Santos, considerado o ‘novo Neymar’ e esperança de renovação para o ataque da Seleção Brasileira, Gabriel Barbosa, o ‘Gabigol’, parecia a um passo de explodir no futebol mundial quando a Internazionale desembolsou quase 30 milhões de euros para o levar, em 2016. Mas após uma temporada na Europa e de colecionar muito mais polêmicas que chances em campo, tudo mudou. Agora, o ainda jovem jogador tenta se reerguer no Benfica, de Portugal.

Imaturidade de Gabigol é apontada como problema para ser titular (Foto:Benfica/Divulgação)

Gabriel chegou à Internazionale com moral. Ele havia acabado de conquistar o ouro olímpico na Rio-2016 e de ser convocado pelo técnico Tite para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 pela Seleção principal. O desempenho recente pelo Santos o credenciava a ser uma das principais esperanças do futebol nacional logo aos 19 anos de idade.

Mas, na Internazionale, Gabriel teve poucas oportunidades em campo, atuou em somente dez partidas oficiais – uma como titular – e marcou apenas um gol. Não raramente, era criticado pelos três técnicos com quem trabalhou no clube e viu o auge deste descontentamento acontecer quando abandonou o banco da equipe em um jogo do Campeonato Italiano. O treinador Stefano Vecchi disparou: “É um jogador que se acha”.

A falta de maturidade parece ser uma justificativa unânime para o momento de Gabriel. “Ele tem 21 anos, é muito novo. Está amadurecendo”, disse seu agente, Wagner Ribeiro. “Na Inter, foi contratado como grande estrela. Pagaram 30 milhões de euros pelo campeão olímpico, titular do Santos e convocado pelo Tite. Chegou com essa bagagem”.

O ex-meia Elano, atual auxiliar-técnico de Levir Culpi no Santos, acompanhou o crescimento do jovem quando ainda vestia a camisa do clube paulista e sabe das qualidades de Gabriel. “Na Europa é diferente, os treinadores às vezes gostam de esperar um pouco mais para te dar uma chance. Pela idade, pela qualidade que tem, ele precisa ter mais paciência”, disse.

Sem espaço na Internazionale, Gabriel agora tenta se provar no Benfica. Emprestado pelo clube italiano, o brasileiro também não vem tendo vida fácil em Portugal. Logo em sua chegada, viu o técnico da equipe, Rui Vitória, vetar o apelido ‘Gabigol’. “Isto é coisa de artista”, afirmou.

Com ou sem apelido, o fato é que o atacante continua sofrendo com a falta de espaço.

Mesmo assim, a expectativa é de que a mudança para um lugar onde os brasileiros costumam ter sucesso faça bem a Gabriel. “Ele chegou agora no Benfica, está se adaptando. É natural que leve um tempo para ganhar espaço. Mas vai conseguir se firmar logo”, afirmou o seu agente.

VÍDEOS