SSP deflagra operação para investigar desvio de 22 armas do Instituto de Criminalística

Da Redação


 

Manaus – A Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) deflagrou, na manhã desta terça-feira (16), a operação Roleta Russa, para investigar o desvio de 22 armas de fogo do Instituto de Criminalística (IC), entre 2015 e 2016. A ação conta com 34 policiais de diversas unidades, além de equipes da Corregedoria Geral. Três pessoas  foram presas, entre elas, um investigador e uma servidora da Polícia Civil.

De acordo com a SSP, foram cumpridos três mandados de prisão temporária,  cinco mandados de busca e apreensão e  quatro mandados de condução coercitiva, todos expedidos pela 6ª Vara Criminal da Comarca de Manaus.

A SSP informou que três suspeitos foram presos: Nathanael Gonzalez Galvao, Investigador de Polícia Civil lotado no IC/DPTC; Joana D´Arc Cruz Da Silva, Assistente Administrativo da PCAM lotada no IC/DPTC e Adauto Leite Da Silva Júnior, comerciante autônomo.

Segundo a SSP, os trabalhos de investigação tiveram início após ter sido detectado por policiais militares, durante ocorrência de porte ilegal de arma de fogo em abril deste ano, que a pistola Taurus, modelo PT840, número de série SET76196, seria a mesma arma de fogo apreendida dias antes, no mesmo mês, vinculada a outra ocorrência. Isso indicaria que a arma encaminhada ao Instituto de Criminalística teria sido desviada e retornado às ruas.

Diante da suspeita, foram realizados levantamentos internos no Instituto de Criminalística que confirmaram o desvio de 22 armas de fogo entre os anos de 2015 e 2016, sendo 21 delas no plantão de uma mesma servidora.

A equipe de investigação monitorou a servidora e outros suspeitos durante as investigações desenvolvidas nos últimos três meses, as quais não somente confirmaram o envolvimento da servidora da Polícia Civil, mas viabilizaram também a identificação de outros envolvidos nos crimes.

Ainda segundo a SSP, as investigações são conduzidas pelos Delegados de Paulo Henrique Benelli de Azevedo e Fernando Bezerra de Oliveira Lima, com o apoio e sob supervisão direta da Força Tarefa da Corregedoria Geral do Sistema de Segurança Pública, coordenada pela Delegada de Polícia Civil Emília Ferraz.

Suspeitas

Em maio deste ano, o Secretário Sérgio Fontes havia declarado que a SSP suspeitavaque armamento estava sendo desviado e vendido nas ruas por pessoas ligadas ao departamento. Uma análise feita pelo Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) em 111 pistolas apreendidas com suspeitos de diversos tipos de crimes, entre os meses de novembro do ano passado e março deste ano, constatou que 60 armas pertencem à Polícia Militar (PM).

VÍDEOS