Jovem pede ajuda a policiais para deixar drogas e buscar clínica, em Manaus

Por Carla Albuquerque


“Eu quero mudar de vida”. A declaração é do jovem Jamerson dos Santos Freitas, 18, que afirmou usar e vender entorpecentes, na zona centro-sul de Manaus, desde os 13 anos, para sustentar o vício. Na manhã desta quarta-feira (17), ele resolveu aceitar a ajuda de policias militares da 22ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e buscar um novo destino para a vida e se internar em uma clínica de reabilitação.

O soldado Saimon Jezini disse que, há cerca de 30 dias, a equipe da Cicom passou a atuar de forma ostensiva na área da Avenida Kako Caminha, no São Geraldo, combatendo o tráfico de drogas. De acordo com ele, Jamerson era o responsável pela venda de entorpecentes no local. “Quando começamos, havia lá cerca de 18 pessoas. Fomos atuando e já vemos poucas pessoas por lá. Então, falamos para ele que era melhor ele mudar porque o tráfico não daria mais certo”, falou.

À reportagem, Jamerson falou que já tinha pensado várias vezes em parar de usar drogas, mas sempre o vício falava mais alto. “Eu morava com o meu pai e os meus outros irmãos, mas ele me desprezava e me humilhava muito. Daí, resolvi sair de casa e ir morar na rua, onde sofri todo os tipos de abusos e agressões bem piores dos que eu sofria em casa”, falou.

Jamerson disse que começou fumando maconha, depois passou a usar cocaína e, atualmente, estava usando oxi. Ele disse ter começado a vender entorpecentes depois que passou a ser mais dependente. “Eu ganhava um cigarro de maconha, daí eu vendia e, com o dinheiro, comprava mais drogas para eu mesmo usar. Cheguei a ser ameaçado de morte por traficantes e agredido nas ruas. Essa é uma vida que não desejo para ninguém”, afirmou.

O jovem disse que tomou a decisão depois de ter recebido um tratamento diferenciado por parte dos policiais da Cicom. “Antes, nós só éramos tratados com chutes, na base da agressão. Esses daí não, são mais humanos”, disse ele, afirmando que, agora, está disposto a mudar sua vida.

De acordo com o soldado Saimon Jezini, Jamerson foi levado ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, onde exames médicos comprovaram que o rapaz era dependente químico. Por isso, foi levado pelos policiais para uma clínica de reabilitação, onde ficará internado.

VÍDEOS