Turista é encontrada após passar três dias perdida na mata, em Presidente Figueiredo

Segundo a polícia, uma empresária mineira, que estava desaparecida desde o último sábado (2), foi resgatada após encontrar um restaurante flutuante

Da Redação

Manaus – A empresária mineira Ana Maria Marcondes Figaud, 53, que estava desaparecida desde sábado (2), foi encontrada na tarde desta terça-feira (5), em Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus). A turista estava no Amazonas desde o dia 23 de novembro e se perdeu na mata durante um passeio à Cachoeira Suçuarana, na Vila de Balbina.

Ana Maria está consciente e passa bem. Ela recebeu atendimento médico na unidade de saúde da Vila de Balbina, onde também2 prestou o primeiro depoimento ao delegado da Polícia Civil. Depois de três dias perdida na mata, a empresária mineira conseguiu encontrar um restaurante flutuante na tarde de hoje e pediu socorro. Desde sábado, efetivos das polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros e a Guarda Metropolitana de Presidente Figueiredo faziam buscas por Ana Maria.

Turista se perdeu na mata durante um passeio à Cachoeira Suçuarana, na Vila de Balbina (Foto: Sandro Pereira)

Segundo o delegado da 37º DIP, Valdinei da Silva, a empresária disse que chegou no sábado em Presidente Figueiredo. Assim que deixou as malas no hotel, conheceu um casal e pediu para acompanhá-los em um passeio à cachoeira. No caminho, Ana Maria teria ficado com medo dos dois porque o homem tinha um terçado. Neste primeiro depoimento, ela não relatou ter sofrido ameaças do casal. Por medo, Ana Maria tentou retornar sozinha e acabou se perdendo.

“Ela entrou na trilha sábado à tarde com um casal. Eles estavam saindo para a cachoeira e ela se ofereceu para conhecer. Aparentemente, ficou com medo dos dois”, disse o delegado.

Em depoimento preliminar prestado na unidade de saúde, Ana Maria também afirmou que chegou a ouvir os chamados e os rojões de foguetes lançados como sinalização pela equipe de buscas no sábado. Mas informou que não respondeu por achar que estava sendo caçada.

“As buscas foram iniciadas no sábado. Mas ela não confiou nos sinais, nos cães e nos foguetes. Ela disse que achou que estava sendo caçada, e se escondeu. Hoje, ela conseguiu chegar a um restaurante na beira do rio e, de lá, pediu socorro. O dono acionou a guarda municipal e a PM”, explicou o capitão da Polícia Militar, Alan Rolim.

O caso está sendo conduzido pelo 37º DIP.

VÍDEOS