Tremor em edifícios no Centro de Manaus gera correria

Quem trabalha em edifícios no Centro da cidade conta que viu as cortinas dos andares mais altos mexendo e as pessoas correndo

Com colaboração de Karla Mendes

Foto: Reinaldo Okita

Manaus – Na tarde desta terça-feira (18), quem estava nos andares mais altos de edifícios no Centro de Manaus sentiu reflexos do tremor de magnitude 6, na escala Richter, no norte do Peru, conforme registro do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB). A região é considerada como a mais estável do País peruano e está localizada a 1,7 mil quilômetros de Manaus.

O condomínio do Edifício Manaus Shopping Center, na Avenida Eduardo Ribeiro, foi evacuado por volta de 14h. Quem estava nos andares mais altos disse ter sentido o edifício ‘balançar’, entre o 14º e o 17º andar.

A empresária contábil Cristina Gonzaga, 47, que tem um escritório de contabilidade no 17º andar, disse que o prédio começou a balançar por volta de 14h, e as pessoas evacuaram todo o edifício pelas escadas. “Balançou o prédio, sentimos as cortinas mexendo e todo mundo desceu correndo, desesperado”, afirmou a empresária.

O síndico do prédio, Raimundo Guimarães, 62, afirmou que o tremor foi sentido por quem estava em diferentes andares. “Todo mundo desceu em pânico. Acreditamos que seja por causa do tremor no Peru”, afirmou.

No Condomínio Palácio do Comércio, edifício de 20 andares, também na Avenida Eduardo Ribeiro, os reflexos do tremor no Peru foi sentido. Claudemir dos Santos, 34, que trabalha na recepção, conta que recebeu ligações de pessoas que estavam no último andar do edifício, informando que sentiram o tremor. “Nós que trabalhamos no térreo não sentimos, mas quem estava no último andar sentiu”, afirmou Claudemir.

A reportagem também recebeu relatos de pessoas que sentiram o tremor no prédio do Ministério Público Federal (MPF) e do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), ambos na Avenida André Araújo, no bairro Aleixo, zona centro-sul da capital.

Reflexo

O geólogo Renê Luzardo, do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), explicou que o tremor sentido em Manaus é um reflexo do tremor registrado, na tarde desta terça-feira, no Peru (a 250 quilômetros de Iquitos e 1,7 mil quilômetros de Manaus). Apesar da distância, o geólogo explicou que ele foi sentido na capital do Estado devido à sua profundidade, de 10 quilômetros. “É como se fosse uma bomba atômica que vai se atenuando com a distância”, explicou.

De acordo com Luzardo, o tremor foi sentido com maior intensidade em cidades localizadas a oeste do Estado, como Tabatinga, distante 500 quilômetros de Iquitos. No entanto, segundo o geólogo, como as construções das cidades do interior do Estado são baixas, ele pode não ter sido sentido nos municípios amazonenses vizinhos ao Peru.

Segundo Renê, o CPRM não foi informado de acidentes causados por esse tremor. O Corpo de Bombeiros também não foi acionado, segundo informou a assessoria de imprensa da corporação.

VÍDEOS