Pane no motor fez avião pegar fogo após pouso forçado; piloto sobreviveu

Com o impacto do procedimento, o bico e o peito da aeronave foram arrastados no chão, gerando faíscas, e ocasionando o incêndio. Acidente aconteceu na manhã desta terça-feira

Gisele Rodrigues

Manaus – O motor do avião da Amazon Naves parou no ar antes de pegar fogo em uma área de mata, no bairro Flores, zona centro-oeste de Manaus, na manhã desta terça-feira. Segundo informações obtidas pela REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC), o piloto da aeronave, o coronel reformado da Aeronáutica Clóvis Martiny, 55, percebeu que o motor parou e realizou o procedimento de pouso forçado em um terreno descampado, em frente a pista do Aeroclube, na Avenida Torquato Tapajós.

Acidente com aeronave aconteceu, na manhã desta terça-feira, em Manaus (Foto: Eraldo Lopes)

A parada no motor aconteceu depois que o avião deixou o Aeroporto Eduardo Gomes, o Eduardinho, na manhã desta sexta-feira (22), para o translado até o Aeroclube. A aeronave tinha 23 anos, segundo informações da Agência Nacional de Aviação (Anac), e estava com o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) em dia.

Com o impacto, o bico e o peito da aeronave, da Caravan PTL-FLW, foram arrastados no chão levantando faíscas. Nesse momento, o coronel deixou a avião da Amazon Naves, que estava com o tanque cheio, levando consigo os seus pertences. Cerca de 10 minutos depois, o avião de 3,9 toneladas começou a pegar fogo.

O avião estava retornando de um frete, em São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros a noroeste de Manaus), quando, no período da noite, pousou no aeroporto Eduardo Gomes. Segundo o gerente de segurança operacional da Amazonaves, João Tavares dos Santos, durante o translado do aeroporto para o Aeroclube foi que ocorreu a tentativa de pouso de emergência.

Tavares informou que, inicialmente, as linhas de investigação do acidente trabalham com três possibilidades: pane no motor, falta de combustível ou falha do comandante. Por Martiny se tratar de um piloto experiente e o avião ter saído com combustível suficiente, Tavares afirma que a falha no motor é a principal suspeita para o acidente.

A empresa Amazonaves Táxi Áereo informou, por meio de nota, que o órgão responsável pela investigação de acidentes aéreos, Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa), está coletando os dados no local do acidente e novas informações serão dadas oportunamente.

Acidente com aeronave aconteceu, na manhã desta terça-feira, em Manaus (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Saiu andando

Com três pontos na face e consciente. Foi assim que o piloto do avião, o coronel Clóvis Martiny, 55, no início da tarde desta terça-feira (22), deixou o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na zona centro-sul. O coronel sofreu cortes no rosto, próximo aos lábios, e algumas escoriações e foi removido para o Hospital e Pronto Socorro João Lúcio para uma avaliação neurológica.

O coronel reformado da aeronáutica foi levado por uma ambulância, por volta das 12h30 desta tarde, para passar por exames neurológicos, segundo informou a assessoria do 28 de agosto.

Na unidade, o médico deve liberá-lo, caso seja descartado qualquer dano no crânio, segundo a assessoria de imprensa do hospital. O piloto passou por exames de imagem e de sangue no 28 de Agosto, desde às 10h12, quando deu entrada no hospital.

Acidentes com avião

O acidente com a aeronave da Amazon Naves, ocorrido na manhã desta terça-feira, foi o quarto registrado no Amazonas, somente neste ano. Em fevereiro deste ano, quatro pessoas morreram após a queda de um monomotor, em uma área de mata, também no bairro Flores, zona centro-sul de Manaus. Na ocasião, o piloto e co-piloto do avião morreram a hora, já os outros dois passageiros morreram dias depois do acidente. O monomotor, segundo informações, estava seguindo em direção ao município de Borba.

Outras duas quedas de aeronave foram registrado no Amazonas, somente neste ano. Uma delas aconteceu em uma comunidade de difícil acesso, nas proximidades do município de Itacoatiara (a 176 quilômetros a leste de Manaus), onde duas pessoas morreram. Em outro acidente, um hidroavião caiu no município de Nova Olinda do Norte (a 135 quilômetros a sudeste de Manaus), deixando apenas vítimas lesionadas.

VÍDEOS