Moradores protestam após morte de industriário durante assalto, em Manaus

Pelo menos 50 comunitários se concentraram na quadra de esportes do Conjunto Canaranas e de lá seguiram em caminhada com faixas, cartazes e balões brancos até a rua onde o homem foi assassinado.

Jucélio Paiva / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Moradores do Conjunto Canaranas 2, bairro Cidade Nova, zona norte, fizeram um caminhada em forma de protesto, para cobrar mais segurança para a comunidade, na noite desta quarta-feira (13). O ato aconteceu horas após o industriário Paulo Williams Gusmão Carneiro, 22, ser morto durante um assalto, enquanto aguardava a rota para ir ao trabalho, na esquina da avenida Penetração com Rua E, durante a madrugada.

Pelo menos 50 comunitários se concentraram na quadra de esportes do conjunto e de lá seguiram em caminhada com faixas, cartazes e balões brancos, pela avenida Penetração até a rua E, onde Paulo foi assassinado. Por volta das 4h30 desta quarta-feira, o industriário aguardava a rota da empresa onde trabalhava, quando foi surpreendido por dois assaltantes que estavam em uma motocicleta.

Os criminosos exigiram o aparelho celular da vítima, que reagiu e tentou fugir dos suspeitos, mas foi atingido com um tiro no tórax, e morreu no local, conforme informações dos policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Durante o protesto, a indústria Vânia Oliveira, 47, reclamou principalmente, da falta de policiamento no local. “A gente vai para a parada de ônibus com medo. É qualquer hora do dia, da noite, principalmente horário de meio dia ou uma hora da tarde. Não podemos subir com celular que os bandidos tomam”, disse.

As rotas de fuga por comunidades próximas ao conjunto é apontada pelo presidente da associação dos moradores do Canaranas 2, André Durand, como um dos principais problemas. “São as vias de escapes que dão acesso às invasões. Até 2015 o conjunto era pacato, mas infelizmente hoje se você é assaltado na principal, você encontra os pertences na Rua 8, que dá acesso a uma invasão, ou no final da Rua K, que dá acesso a outra invasão”, criticou.

O protesto foi acompanhado por um agente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans) e uma viatura da Polícia Militar (PM), e seguiu pacífico, sem prejudicar o trânsito de veículos na área. O velório do industriário Paulo Williams, ocorre em uma funerária, no centro de Manaus, segundo vizinhos da vítima.

Morte

Paulo Willians Gusmão Carneiro, 23, morreu após ser atingido por disparo, na Rua E, próximo à Avenida Penetração, conjunto Canaranas, bairro Cidade Nova, na madrugada desta quarta-feira (13). Segundo a Polícia Civil (PC), o industriário estava saindo de casa para o trabalho, quando foi alvo de dois assaltantes, que se aproximaram em uma motocicleta. A polícia afirmou que Paulo foi atingido quando tentou correr dos criminosos.

VÍDEOS