Investigações contra PM crescem 40%, no Amazonas

Girlene Medeiros /redacao@diarioam.com.br

Manaus – O número de investigações contra policiais militares do Amazonas aumentou 40%, entre os períodos de janeiro a outubro de 2015 e de 2016. Um salto de 583 procedimentos instaurados, em 2015, para 822 no ano passado, conforme apontam dados da Corregedoria Geral da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM).

Os dados têm como base  processos instaurados pela Diretoria de Justiça e Disciplina da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM). As investigações envolvem ocorrências que incluem uso de arma de fogo por parte dos policiais militares. De acordo com os dados informados pela SSP-AM, foram sete mortes decorrentes de intervenção policial, no período entre janeiro e outubro de 2015, e outras 26 mortes no mesmo período em 2016. Também aumentou, conforme a SSP-AM, o número de lesões corporais decorrentes de intervenção policial: oito ocorrências deste tipo, entre janeiro e outubro de 2015, e 49, entre janeiro e outubro de 2016.

O levantamento da Corregedoria Geral da SSP-AM aponta, também, que a ameaça é o crime com maior incidência entre as investigações que envolvem policiais militares. A lista de crimes das investigações contra policiais militares, conforme o levantamento, inclui, também, denúncias acerca de abuso de autoridade, lesão corporal, tortura, roubo, dano, injúria, constrangimento ilegal, violação de domicílio e concussão.

A maioria dos policiais militares denunciados, em 2015 e 2016, conforme a SSP-AM, é de soldados, seguidos de oficiais, cabos e sargentos. Em 2016, conforme a SSP, 172 procedimentos foram arquivados, 49 policiais militares foram punidos e sete policiais militares excluídos da corporação.

Denúncias

Conforme as estatísticas da SSP, foram 738 denúncias, em 2015 e em 2016, que foram realizadas, em maioria, por homens, e envolvem policiais militares da Força Tática, Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), 2ª, 9ª, 10ª, 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), Comando de Policiamento do Interior (CPI), 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM), e Batalhão de Policiamento de Trânsito do Amazonas (BPTran).

Sobre o quantitativo de denúncias e procedimentos instaurados, a Polícia Militar (PM) informou, por meio de assessoria de imprensa, que, após os atos serem apurados, são encaminhados à Justiça Militar Estadual para os procedimentos pertinentes. “O Comando da Instituição não compactua com qualquer atitude que vá contra os preceitos instituídos pelo Estatuto e pelo Regulamento Disciplinar”, informou a PM.

VÍDEOS