Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite termina nesta semana

Ministério da Saúde convoca pais e responsáveis a levarem crianças de 1 ano a menores de 5 anos para se vacinarem contra a doença, também conhecida como paralisia infantil, que pode levar à morte

Da Redação

Manaus – Esta semana é a última oportunidade dos pais e responsáveis levarem as crianças de 1 ano a menores de 5 anos para se vacinarem contra a poliomielite. A Campanha Nacional de Vacinação termina dia 31 de agosto. A informação é do Ministério da Saúde (MS).

Crianças que já tiverem tomado uma ou mais doses receberão a gotinha (Foto: Sandro Pereira)

“Estamos entrando na última semana de vacinação da campanha, que encerra no dia 31 de agosto. O esforço para impedir que doenças já eliminadas não retornem ao Brasil é um trabalho de toda a sociedade. Por isso, convocamos pais e responsáveis a levarem as crianças que ainda não foram vacinadas aos postos de saúde, independente da situação vacinal anterior, já que, neste ano, a campanha é indiscriminada”, ressalta o ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

Para a poliomielite, as crianças que ainda não tomaram nenhuma dose da vacina na vida serão vacinadas com a Vacina Inativada Poliomielite (VIP). As crianças que já tiverem tomado uma ou mais doses receberão a gotinha (Vacina Oral Poliomielite – VOP).

Também está em andamento a campanha de vacinação contra o sarampo. Todas as crianças devem receber uma dose da vacina tríplice viral, independente da situação vacinal. A exceção é para as que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias, que não necessitam de uma nova dose.

Atualmente, o Brasil enfrenta surtos de sarampo, em Roraima e Amazonas. Até o dia 21 de agosto, foram confirmados 1.087 casos de sarampo no Amazonas, e 6.693 permanecem em investigação. Já o Estado de Roraima confirmou 300 casos da doença e 67 continuam em investigação.

Os surtos estão relacionados à importação, já que o genótipo do vírus (D8), que está circulando no País, é o mesmo que circula na Venezuela, País que enfrenta um surto da doença desde 2017.

VÍDEOS