Casal suspeito de desviar R$ 6 milhões da Unimed é solto pela Justiça horas após prisão

Os dois, que estavam sendo procurados pela polícia, foram presos após tentar voltar ao apartamento de luxo onde moravam. Outros dois foragidos tiveram alvarás de soltura expedidos pela Justiça

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O analista financeiro Diego da Silva Martins, 31, e a esposa dele, Rita de Cássia Bentes Martins, 37, foram presos, na manhã desta terça-feira (14), suspeitos de participar de um esquema de desvio de R$ 6 milhões da Unimed Manaus, em um ano e meio de ação criminosa. O casal foi preso quando tentava retornar ao apartamento deles, em um condomínio fechado na Avenida Torquato Tapajós, bairro Flores, zona norte de Manaus.

Conforme a Polícia Civil (PC), os alvarás de soltura dos dois foram expedidos, na tarde desta terça-feira, e, horas depois de terem sido presos, o casal indiciado pelo esquema foi liberado para responder ao processo em liberdade.

Suspeitos de desviar verba da Unimed Manaus são soltos pela Justiça (Fotos: Divulgação/PC e Eraldo Lopes)

De acordo com o delegado Henrique Brasil, titular do 12º Distrito Integrado de Policia (DIP), o casal foi preso dentro do apartamento deles momentos depois de terem chegado ao local. O apartamento havia sido lacrado, pela polícia, durante uma busca pelos suspeitos.

No 12º DIP, segundo Brasil, o casal tentou se recusar a assinar os mandados de prisão, alegando que eles já tinham alvará de soltura. “Eles obtiveram a informação de um parecer do Ministério Público favorável à soltura deles e acharam que já era o alvará de soltura. Por isso, voltaram para o apartamento”, disse o delegado, acrescentando que recebeu denúncias do retorno do casal ao local.

Leia também:

Em Manaus, seis são procurados por desviar R$ 6 milhões da Unimed

Casal procurado por desvio na Unimed recebeu R$ 1,5 milhão em esquema

Procurados por desviar milhões da Unimed ostentavam com novos apartamentos e carros de luxo

Brasil afirmou que a oitiva dos presos iria ocorrer na tarde desta terça-feira, mas, às 14h22, a Justiça liberou os alvarás de soltura e os dois foram soltos para responder em liberdade ao processo que os aponta como envolvidos no esquema de desvio de dinheiro da cooperativa de médicos, sendo tipificados nos crimes de furto qualificado, organização criminosa e lavagem de dinheiro. A oitiva do casal está marcada para a próxima sexta-feira (17).

Também na tarde desta terça, segundo o delegado, foram expedidos os alvarás de soltura dos últimos dois suspeitos de envolvimento no esquema que estavam foragidos: Alexandro Holanda do Nascimento e o gerente financeiro da cooperativa, Flávio Lavareda Leão Filho, 33. Eles também vão responder em liberdade ao processo.

VÍDEOS