Negritude amazônica eternizada

Registros da fotógrafa rondoniense Marcela Bonfim entram em exibição no Sesc-AM, nesta sexta-feira (6)

Maria Luiza Dacio

Manaus – Abrindo as atividades do projeto ‘(Re)conhecendo a Amazônia Negra’, acontece, nesta sexta-feira (6), o coquetel de abertura da exposição fotográfica ‘Amazônia Negra’. Assinado pela fotógrafa rondoniense Marcela Bonfim, o evento acontecerá, às 19h, na galeria Moacir Andrade, no Centro de Atividades do Sesc-AM (Rua Henrique Martins, 427, Centro). A entrada é gratuita.

A exposição fotográfica ‘Amazônia Negra’ estará disponível para a visitação a partir do dia 6 de abril e permanecerá até 3 de maio, das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. Marcela registrou mulheres, homens, crianças, jovens e velhos, negros e negras na Amazônia, em suas comunidades, rituais, festejos e em penitenciárias.

A exposição ficará em cartaz até o dia 3 de maio (Foto: Marcela Bonfim/Divulgação)

“A exposição é uma composição com vários quadros das fotografias que ela registrou, ao longo de anos de trabalho, sobre os negros na Amazônia e a importância cultural para a Amazônia e para o Norte”, revelou Denise Vicentim, técnica de Artes Visuais do Sesc-AM.

Ainda na sexta-feira, haverá uma intervenção da artista amazonense Keila Serruya. “‘Afronta Preta Rei’ é um trabalho apresentado com materiais desenvolvidos pela artista”, salientou Denise. A intervenção será exibida exclusivamente na abertura, junto ao trabalho de Marcela. “A produção da Keila também fala a respeito da negritude, no Brasil, e da forma como os negros tem se imposto e lidado com preconceitos vividos”, finalizou a responsável.

A mostra é parte do projeto ‘(Re)conhecendo a Amazônia Negra: Povos, costumes e influências negras na floresta’, que busca a defesa do tema através das artes visuais, no campo da antropologia visual, sobre a memória da população negra na região amazônica. O plano também busca, na forma de movimento político em prol do ‘(re)conhecimento’ do legado e da contribuição da população negra no que é a sociedade e cultura de Rondônia, da Região Norte e do Brasil.

Dentro do projeto, esta será a primeira exposição artística. Isto porque haverá outras atividades e expressões ligadas ao tema, como artes cênicas e dança. No campo de exposições fotográficas, os registros de Marcela serão os únicos.

VÍDEOS